terça-feira, 12 de setembro de 2017

O LOUCO E O TARÔ: elogio à loucura.

Zildo Gallo


Na minha cabeça carrego o vento
Na minha trouxa carrego o vazio
Nas minhas pernas carrego caminhos.

Minhas roupas são bem mais velhas
Que minh'alma leve e solta
Alma que vaga para lá e para cá.

Caminho como assombração no mundo
Brincando sem compromissos
Sempre pronto para mudar a rota.

Meu cachorro me segue fiel
Canina fidelidade e puro afeto
Nada lhe peço e tudo ele me dá.

Sigo meus passos como quem vai
Sempiternamente a lugar nenhum
Todos os lugares são lugares meus.

Minha loucura é o ingênuo susto
De quem ainda não se encaixou
No mundo dos quereres e fazeres.

Andarilho, caminho sob a luz do Sol
Mas, lunático que sou, tenho a cabeça
No mundo secreto da Lua noturna.


Nenhum comentário:

Postar um comentário