quarta-feira, 30 de agosto de 2017

LÍRIO DO CAMPO

Zildo Gallo


Olhai o lírio que nasceu no campo,
Singela e delicada flor,
Na sua espontânea e singular beleza.
É único mas não nasceu sozinho,
Veio com outros muitos semelhantes,
Na sua contribuição exclusiva ao todo,
Como dádiva divinal da mãe natureza,
Presenteando os sentidos dos seres viventes
Na mais pura e caridosa gratuidade.
O lírio é apenas um lírio,
Um lírio simplesmente e belamente florido,
E não precisa ser nenhuma outra coisa.
Em sua beleza ele se afirma e se autotranscende,
Sem deixar a sua real condição
De uma flor entre muitas outras flores.


Nenhum comentário:

Postar um comentário