quinta-feira, 8 de março de 2018

PAX ROMANO-AMERICANA


Zildo Gallo

http://media.economist.com/images/images-magazine/2010/15/MA/201015MAP502.jpg

O mundo não está para menores
Nem à maioria dos maiores
O mundo está para bem poucos
Muito menos para os loucos
Que nos seus desvarios delirantes
Desejam mudá-lo o quanto antes
Torná-lo dos sonhadores
E não só dos sequestradores
De sonhos, esperanças e belezas
Não são delírios de grandezas
Que nada... que nada... que nada...
Apenas sonhos de boa morada
Boa comida, liberdade e paz
Muita paz... muita paz...
Não é a pax romana
Nem é a pax americana
Nunca será a paz da armas
Das armas não sobrevém a calma
Das armas resta o medo n'alma
E o medo inibe os sonhos
Os sonhos das crianças
E dos adultos as esperanças
As airosas esperanças...

Um comentário:

  1. Maravilhoso poema
    A paz interna e mundial que tanto procuramos

    ResponderExcluir