quinta-feira, 4 de janeiro de 2018

MONUMENTO ÀS BANDEIRAS

Zildo Gallo


As bandeiras adentravam as matas sombrias
E capturavam os corpos nativos,
Enquanto os padres capturavam suas almas,
Entronizando Jesus no altar de Tupã.
E, assim, nas antigas terras de Pindorama,
A civilização se construía todos os dias,
Com muita guerra e muito sangue,
Mas também com muita reza... muita reza...


3 comentários: